Abordagem orientada para a cessação

O tratamento da cessação com base no controle de sintomas de abstinência pressupõe que os indivíduos que tentam parar o uso de nicotina dependem da nicotina e que o desconforto da cessação é um problema importante na cessação bem-sucedida.

A abordagem direta de cessação pode ser vista como um complemento de outros métodos de cessação tabágica, particularmente quando surgem problemas na auto-eficácia e os indivíduos ficam com a tentação de uma recaída.

Por exemplo, um indivíduo que está no estágio de manutenção da mudança pode ser tentado a fumar devido à sua situação social e à cessação recente. A abordagem orientada à cessação utiliza a reposição de nicotina e o gerenciamento do comportamento para controlar esses impulsos.

O uso de terapia comportamental em grupo na abordagem orientada para a cessação é discutida por Hajek (1989), e incide em:

A estrutura do grupo

utilizada porque permite que indivíduos em situações similares se conheçam, interajam e discutam as suas experiências pessoais num fórum relevante. Este procedimento altera o foco do individuo cessante para outros membros do grupo, o que elimina qualquer aspeto didático da intervenção. Esta mudança de foco permitiu reduzir o abandono da alteração comportamental em indivíduos que tentam deixar de fumar (Hajek, 1985).

A intervenção durante 4 semanas

significa que os indivíduos recebem o tratamento que necessitam durante o tempo de espera aguda (West 1987). Embora alguns indivíduos apreciassem um período mais longo, essa situação não está associada a nenhum aumento da taxa de sucesso na cessação.

Educação dos Sintomas de Abstinência

Permite que os indivíduos saibam o que devem esperar durante a tentativa de cessação, e que o que eles estão sentir é normal (West 1986). Ao normalizar e discutir esses sintomas, a intenção é influenciar aqueles com sintomas de abstinência mais agudos (que, por sua vez, são mais propensos a uma recaída) que sua cessação é, de fato, possível (West 1989).

 

Tamanho do grupo cuidadosamente selecionado

12-15 membros mostraram ser o número ideal (Hajek, 1986). Num grupo desta dimensão, há um número suficiente para criar um “movimento de banda”, e criar estimulo moral, sem ser afetado por um pequeno número de abandonos. Num grupo menor, os abandonos são mais visíveis e um grupo maior pode impedir o envolvimento individual e a criação de laços interpessoais dentro do grupo.

Limitação de material didático difundido

Os indivíduos que atingiram este nível assumem ter uma certa quantidade de informação sobre a cessação. Ao concentrar nas ultimas sessões a informação sobre a educação, isto permitirá aos indivíduos um impulso educacional, quando a novidade e o desejo de permanecer abstinente podem estar a começar a diminuir.

Disponibilidade limitada de reentrada

Demonstrou-se que, se os indivíduos são informados que apenas se podem inscrever num programa, uma vez por ano, eles são mais propensos a estarem mais determinados a usar a oportunidade disponível e evitam assim a existência de grupos com um conjunto indivíduos que falham repetidamente, o que pode resultar em desequilíbrio da dinâmica do grupo.

Sintomas de abstinência

Como profissionais de saúde, também é importante que entendamos e possamos identificar os sintomas de abstinência. Estes sintomas são mais fortes nos primeiros dias e dissipam-se ao longo de 4 semanas (Hughes 2007), o que é concorrente com o tempo que a abordagem de cessação é usada. Os sintomas de abstinência mais comuns são (Hughes 1991):Dificuldade de concentração

    • Inquietude
    • Ansiedade
    • Distúrbios de sono
    • Irritabilidade / Raiva
    • Aumento de peso e fome

Estes sintomas podem ser lembrados através da mnemônica DIADIA.

Regra “Não é um Sopro”

Ao ajudar numa tentativa de desistência, é importante enfatizar dificuldades prováveis, como por exemplo, lidar com sintomas de abstinência. No entanto, uma das coisas mais importantes para ajudar pessoas que abandonaram recentemente ou que vão parar é a regra de “não é um sopro”.

Se um indivíduo quebrar uma regra auto-imposta, mesmo que apenas uma vez, há uma tendência a abandonar o objetivo comportamental. Um número significativo de pessoas que renunciam fuma nos primeiros dias de abandono.

Para os que falham uma vez é muito improvável que recuperem e permaneçam abstinentes.

Existe uma forte relação entre o consumo de álcool e o abandono da cessação, o que significa que os conselhos de cessação para os indivíduos devem incluir conselhos sobre o consumo de álcool.

Bibliografia e Leitura adicional
Anderson CM, Zhu SH. Tobacco quitlines: looking back and looking ahead. Tobacco Control 2007;16 Suppl 1:i81–86.
Brandon TH, Collins BN, Juliano LM, Lazev AB. Preventing relapse among former smokers: A comparison of minimal interventions through telephone and mail. Journal of Consulting and Clinical Psychology 2000;68:103–13.
Brown RA, Lejuez CW, Kahler CW, Strong DR, Zvolensky MJ. Distress tolerance and early smoking lapse. Clinical psychology review. 2005 Sep 30;25(6):713-33.
Brunette MF, Ferron JC, Gottlieb J, Devitt T, Rotondi A. Development and usability testing of a web-based smoking cessation treatment for smokers with schizophrenia. Internet Interventions. 2016 May 31;4:113-9.
Chauhan P, Dev A, Desai S, Andhale V. Nicotine replacement therapy for smoking cessation. Pharmaceutical and Biological Evaluations. 2016 Jun 11;3(3):305-12.
Hajek P, Belcher M, Stapleton J. Enhancing the impact of groups: an evaluation of two group formats for smokers. British Journal of Clinical Psychology. 1985 Nov 1;24(4):289-94.
Hajek P. Nicotine chewing gum in the group treatment of smokers. InWorld Congress, Harvard University, Cambridge, Institute for the Study of Smoking Behaviour and Policy 1986.
Hajek P. Treatments for smokers. Addiction. 1994 Nov 1;89(11):1543-9.
Hajek P. Withdrawal‐oriented therapy for smokers. British journal of addiction. 1989 Jun 1;84(6):591-8.
Hall SM, Humfleet GL, Reus VI, Munoz RF, Cullen J. Extended nortipyline and psychological treatment for cigarette smoking. Am J Psychiatry. 2004;161(11):2100–2107.
Hughes JR, Gust SW, Skoog K, Keenan RM, Fenwick JW. Symptoms of tobacco withdrawal: a replication and extension. Archives of general psychiatry. 1991 Jan 1;48(1):52-9.
Hughes JR. Effects of abstinence from tobacco: etiology, animal models, epidemiology, and significance: a subjective review. Nicotine & Tobacco Research. 2007 Mar 1;9(3):329-39.
Lai DTC, Cahill K, Qin Y. Motivational interviewing for smoking cessation. Cochrane Database Syst Rev. 2010;1:CD006936.
Lancaster T, Stead LF. Individual behavioural counselling for smoking cessation. The Cochrane Library. 2005 Jan 1.
McKee SA, Krishnan-Sarin S, Shi J, Mase T, O’Malley SS. Modeling the effect of alcohol on smoking lapse behavior. Psychopharmacology. 2006 Dec 1;189(2):201-10.
Pommerenke FA, Dietrich A: Improving and maintaining preventive services, Part 2: Practical principles for primary care. J Fam Pract. 1992, 34: 92-97.
Rigotti NA, Rennard SI, Daughton DM. Benefits and risks of smoking cessation. UpToDate. Waltham (MA): UpToDate; Available at: http://www. uptodate. com/contents/benefits-and-risks-of-smoking-cessation. 2013:1-50.
Roberts NJ, Kerr SM, Smith SM. Behavioral interventions associated with smoking cessation in the treatment of tobacco use. Health Services Insights. 2013;6:79.
Russell MA, Jarvis MJ. Theoretical background and clinical use of nicotine chewing gum. NIDA research monograph. 1984 Dec;53:110-30.
Schwarzer R. Modeling health behavior change: How to predict and modify the adoption and maintenance of health behaviors. Applied Psychology. 2008 Jan 1;57(1):1-29.
Stead LF, Lancaster T. Group behaviour therapy programmes for smoking cessation. The Cochrane database of systematic reviews. 2001 Dec(3):CD001007-.
Stead LF, Lancaster T. Group behaviour therapy programmes for smoking cessation. Cochrane Database Syst Rev. 2005 Apr 18;2(2).
Stead LF, Perera R, Lancaster T. Telephone counselling for smoking cessation. The Cochrane Library. 2006 Jul.
Stead LF, Perera R, Lancaster T. Telephone counselling for smoking cessation. The Cochrane Library. 2006 Jul.
Vangeli E, Stapleton J, West R. Smoking intentions and mood preceding lapse after completion of treatment to aid smoking cessation. Patient education and counseling. 2010 Nov 30;81(2):267-71.
West RJ, Hajek P, Belcher M. Severity of withdrawal symptoms as a predictor of outcome of an attempt to quit smoking. Psychological medicine. 1989 Nov 1;19(04):981-5.
West RJ, Hajek P, Belcher M. Time course of cigarette withdrawal symptoms during four weeks of treatment with nicotine chewing gum. Addictive behaviors. 1987 Dec 31;12(2):199-203.
West RJ, Hajek P, Belcher M. Which smokers report most relief from craving when using nicotine chewing gum?. Psychopharmacology. 1986 Jun 1;89(2):189-91.
Wu L, He Y, Jiang B, Zuo F, Liu Q, Zhang L, Zhou C. Additional follow-up telephone counselling and initial smoking relapse: a longitudinal, controlled study. BMJ open. 2016 Apr 1;6(4):e010795.
Zhu S, Anderson CM, Tedeschi GJ, et al. Evidence of real-world effectiveness of a telephone quitline for smokers. N Engl J Med. 2002;347:1087–1093.
Fotos
Nicotine by Pablo Andres. Available at https://www.flickr.com/photos/pabloeivissa/6184106249/in/photolist-aqtakx-pNPvU-4tEZC7-pNPp1-ex51wP-pjVe9a-pNPh9-r48jfp-eDbYd1-aGfaVe-6LynGd-nzPJGo-4FzAy1-73ftv3-cVWMH3-7x3LSy-4mqAj-4xs3eB-9nbQmm-7qKFNn-9abURx-3tTCR-7fF98H-outau-69mU6h-5ojLyi-9af5xE-GJsFs-2bZHo-3YBW2E-a3ZmAm-26qEHN-x1ohv-7Whpjr-7hbTfG-niAYu-AJtiMB-qWsaXB-59dyLh-3eHxN-4wp51L-9a3C5G-6iwBW-au1L5S-3caTjw-bqvuxr-p1n4NV-qfTv4X-qbLe2S-ijBdaF Licensed under CC BY-NC-ND 2.0
Group by Stephen Downes. Available at https://www.flickr.com/photos/stephen_downes/506074326/in/photolist-LHLgq-fTwoz-arcecj-bq2QLM-H1kyS-2meeyh-4A27Tz-G6FoD9-HnuxC-jtiii-fREeL-jthMt-FAwnTX-bq2MLk-jti2M-8PYJjH-FyUo-jtitX-zuEuPM-dbk7U-tdE1m-jNmaQ-9M6uNQ-dABGVR-wKPZuX-7tiRJL-dAHbq9-qf2eoe-27Svp-pZTtRL-h6m1Zn-RCE3kh-fMRhu6-4U9bph-2VDvaD-64ewNJ-fKgDtT-7frcdX-2t8c1-nNN4xY-bJnqoR-4R1ka1-cbpWRC-38uNrj-8EbnMj-m5rFgr-6VucP1-HPM6Gx-4PwbCE-fKgLsc Licensed under CC BY-NC 2.0
Therapy by RandomDrps. Available at https://www.flickr.com/photos/randomdrps/8616632634/in/photolist-e8quFC-KuE9AU-RQKRXq-9S8DBr-SNZPA2-PGWpn7-4V9vZN-5pbza9-9hEpMo-AnBXE-aUPSda-aUPPS2-5ZYrGa-byrWDy-692vWi-TiXckh-7QAWJj-696H6J-byrWr7-bMmDoT-og2pB9-7QAWnQ-bMmCX2-8frSZ3-7QAX95-bMmD8M-68GvJt-4gTnCb-qhzNc9-jCTJ-byrWbq-qhN6yD-5expZL-rp45vi-sadp2B-Sc26ta-4gPipx-byrVXs-7QxBwD-7QSEE1-7QAWC1-bMmDER-692vWV-7QxBgK-4GZnek-76sKd-dPtwFX-3T1D4F-qX1i5s-co2yP5 Licensed under CC BY-NC 2.0

Did you Know

An estimated 2.8 million adults in Great Britain currently use e-cigarettes. Of these,1.4 million continue to smoke and 1.4 million now completely rely on their e-cigarette.